Caxias do Sul 23/10/2021

"O mundo pode ser um lugar bom de se viver"

A atriz e presidente do Conselho Municipal de Cultura compartilha dicas que dão sabor à sua vida
Produzido por redação, 13/03/2020 às 09:34:16
Aline Zilli é atriz e produtora cultural
Foto: Bruno Kriger

Um livro

“Ensaio sobre a Cegueira” do José Saramago. Livro que, em cada linha, apresenta ao leitor pensamentos profundos condensados. Traz a poética da vida diante do caos e todas as mazelas da humanidade expostas por um simples ato: cegar. Uma leitura intensa e complexa, mas que é saboreada a cada frase perfeitamente escrita, com palavras simples e tocante à alma.

Um som

Blues! Seja na voz de Marvin Gayes ou Gallie, ao som de B. B. King ou na voz das mulheres, como Aretha Franklin ou J.J. Thames. Um som virtuoso, que não me parece comprometido com a perfeição dos arranjos e do alcance das notas musicais, mas que chega na alma de forma marcante. O Blues me encanta porque rompe os padrões e chega aos ouvidos com um tom que varia entre o melancólico e o radiante, e que em cada momento é tocante pela sua força e presença.

Um lugar

A ilha de São Francisco do Sul. Um paraíso ao norte de Santa Catarina, com ares de vila de pescador e que oferece tranquilidade em meio a paisagens verdes e águas cristalinas, com barcos apontando o caminho do vento. Lugar que me encantou pela primeira vez há quase 30 anos e a cada visita, seja nas praias ou centro histórico, segue me maravilhando. Um canto nesse mundo rodeado de águas em que me sinto em casa.

Um filme

Sou encantada por animações, esses típicos desenhos criados para as crianças, mas que acabam por encantar os adultos. Cito aqui “O Rei Leão”. Quando pequena, contei ter assistido mais de 38 vezes à fita cassete presenteada no Dia das Crianças. E perdi a conta de quantas vezes assisti depois de adulta. Já grandinha, passei a entender muitas das metáforas do filme e sua clara referência a “Hamlet”, de Shakespeare. E, com isso, o entendimento das lutas de poder, das filosofias de vida e tudo o mais que aquele desenho trazia consigo.

Um prato

Amo comida italiana, chinesa, japonesa, mexicana, nordestina e tantas outras. Mas o que me encanta mesmo é um bom prato típico do Brasil: A la minuta, ou ala Minuta, ou Alaminuta. Não importa como é escrito no cardápio do restaurante (já que há sempre muita variação na grafia), desde que venha com arroz, ovo, bife - de preferência, empanado e bem passado - e batatas fritas. Até a salada de tomate e alface é bem-vinda. Não sou fã do feijão, mas, se tiver uma farofa junto, é alegria na certa!

Uma sobremesa

Ao pensar em um prato para indicar, comecei pela sobremesa, e então me dei um espaço a mais neste menu: bolo com uvas. Lembrei do gosto da infância, com os bolos que minha avó fazia sempre, mas que no verão eles assumiam um toque especial: grãos de uvas eram adicionados em sua massa antes de chegar ao forno. Não eram as tradicionais cucas de uva. Eram bolos simples com uva, muita uva colhida direto da parreira. E quando eles ficavam prontos, a brincadeira com meu irmão, para horror da dedicada avó, era pegar o pedaço que mais contivesse essas pequenas doses de fruta.

Aline por Aline

Aline Zilli é atriz e produtora teatral junto ao Grupo Ueba Produtos Notáveis e gestora cultural no Moinho da Cascata. Está sempre engajada em movimentos culturais e sociais, em busca de uma sociedade mais justa e igualitária. É leitora assídua de poesias e romances, especialmente os infanto-juvenis, realistas e modernistas, principalmente se neles houver um fundo filosófico. Gosta de cozinhar para o parceiro de vida, Jonas Piccoli, e seus familiares. Adora estar em meio à natureza, seja na praia ou em cachoeiras. Tem um gato manhoso chamado Fellini e três cães na sede do Grupo Ueba. Seus hobbies estão em viagens e na fotografia, vendo o mundo através das imagens captadas amadoramente em celular ou na câmera fotográfica. Tem gosto eclético para a música, embora tenha alguns sons que são passam perto de suas playlists. É positivista, embora às vezes pareça mais cética, e acredita que, com um pouco de boa vontade, o mundo pode ser um lugar bom de se viver.