Caxias do Sul 19/04/2024

Matriarca da família Randon, Dona Nilva encanta plateia na CIC Caxias

Viúva do saudoso empresário Raul Randon compartilha lições de vida na família, na comunidade e nas empresas do grupo
Produzido por Silvana Toazza, 01/04/2024 às 15:44:49
Matriarca da família Randon, Dona Nilva encanta plateia na CIC Caxias
"Meu principal papel hoje é o de manter a família unida"
Foto: Júlio Soares/Objetiva

Emendando uma lembrança na outra, com momentos de descontração, bom humor e sem poupar capítulos tristes, como o pedido de concordata da empresa, na década de 1980, e a morte do marido e ícone empresarial Raul Anselmo Randon, em 3 de março de 2018, Dona Nilva Randon encantou a plateia da RA (reunião-almoço) da Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) de Caxias com sua capacidade de narrar histórias e lições de vida.

Aos 89 anos, a matriarca da família Randon (acionista da hoje Randoncorp) palestrou em mais uma edição da série Histórias Inspiradoras, nesta segunda-feira (1º/04). Ao fim de sua explanação, foi efusivamente aplaudida de pé.

"Nunca me arrependi do que fiz, mas já me arrependi muito do que não fiz", enfatizou Nilva Randon, conhecida por sua atuação comunitária e social, participando da Casa da Amizade, Rotary Club e Banco da Mulher de Caxias do Sul, instituição com sede na CIC Caxias e da qual foi presidente e uma das fundadoras.

Simplicidade e harmonia familiar

Dona Nilva iniciou sua palestra relembrando suas raízes em uma família simples, porém cheia de amor e união. Compartilhou a influência dos pais em sua educação, destacando o valor da simplicidade e da harmonia familiar. Mencionou a importância da religiosidade, ressaltando também sua paixão pelo piano e pela música, que a acompanha desde a juventude.

O encontro com o marido, Raul Randon, aos 14 anos, e o casamento anos mais tarde foram alguns dos momentos marcantes de sua história. Com bom-humor, Dona Nilva recordou traços da personalidade forte de Raul Randon e o nascimento dos cinco filhos (David, Alexandre, Roseli, Maurien e Daniel), evidenciando a força da família na construção de um legado empresarial único.

Dona Nilva também abordou o crescimento das Empresas Randon, hoje Randoncorp, a partir da década de 1970, ressaltando o papel fundamental do seu Raul e sua visão empreendedora, que avançou para o agronegócio, com a produção de maçãs, queijos, vinhos e azeites de oliva. "As vacas chegaram do Exterior ao Estado escandolasamente a bordo de dois boeings", relembra.

Ela destacou a sucessão na gestão da empresa e a profissionalização do processo como elementos-chave para manter a coesão familiar e o sucesso dos negócios.

"Ele deixou um baita legado, que os filhos estão levando adiante com muita competência. Meu principal papel hoje é o de manter a família unida", afirmou dona Nilva sobre o marido e a sucessão familiar.

Volta por cima

Para se reerguer da concordata na Randon, nos anos 1980, período no qual Seu Raul ficou seis meses sem dormir, a solução foi enviar um executivo de confiança à Argélia a fim de fechar algum contrato de venda de caminhões.

"O Raul dizia que só iria dar a passagem de ida, pois a de volta só se efetivaria com o contrato fechado. E aconteceu, deu certo", pontuou com humor a matriarca, enfatizando a importância de executivos como Erino Tonon e Astor Milton Schmitt para a companhia desbravar o mercado internacional, uma vez que Seu Raul não era fluente em inglês e em outras línguas.

Causas sociais

Além de narrar como acompanhava o crescimento dos negócios, dona Nilva compartilhou a dedicação do casal às causas sociais, como o lançamento do Programa Florescer, em 2002, idealizado para proporcionar educação a crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. Até 2023, de acordo com ela, 17 mil crianças já haviam sido atendidas pelo Florescer, hoje mantido pelo Instituto Elisabetha Randon, em todas as cidades do país em que possui franquias. "Era a menina dos olhos dele", assinalou.

Ao concluir sua palestra, dona Nilva expressou sua gratidão por uma vida repleta de realizações. "Fui uma mulher privilegiada. Agradeço a Deus por esta vida longa e plena".

O presidente da CIC Caxias, Celestino Oscar Loro, ao fazer sua saudação de abertura, afirmou que a história de dona Nilva é exemplo e inspiração a todos que desejam ser melhores empresários e cidadãos. "Temos muito a aprender com sua simplicidade, generosidade e espírito comunitário", completou Loro.

Uma multinacional caxiense

A saber: a caxiense Randoncorp é uma força empresarial que carrega uma receita líquida de R$ 10,9 bilhões, resultado conquistado em 2023.

O conglomerado fechou o último ano com o maior EBITDA (leia-se lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de sua história de 75 anos. O indicador soma R$ 1,6 bilhão e margem EBITDA de 14,4%, 0,9 ponto percentual acima do ano anterior.

A companhia assegura que o desempenho é reflexo da demonstração de resiliência do seu modelo de negócios, superando o momento complexo no mercado de caminhões no país e avançando em novas frentes de negócios.