Caxias do Sul 23/10/2021

MUSEU DOS CAPUCHINHOS celebra 20 anos compartilhando acervo em catálogo

Obra terá lançamento por meio de palestra online no dia 27 de maio, quinta-feira, às 19h
Produzido por redação, 25/05/2021 às 10:04:00
MUSEU DOS CAPUCHINHOS celebra 20 anos compartilhando acervo em catálogo
Obras sacras perfazem o amplo acervo do MusCap
Foto: Severino Schiavo

Fundado há duas décadas, o Museu dos Capuchinhos (MusCap), acervo documental dedicado à guarda e preservação de acervos, pesquisa e difusão da história da congregação dos Freis Capuchinhos no Rio Grande do Sul, celebra seu aniversário lançando o catálogo MusCap 20 Anos – Acervos e Memória, com 68 páginas ilustradas, apresentando ao público uma mostra de seu amplo acervo.

Aberto ao público em 6 de dezembro de 2000, o MusCap conta hoje com 26 mil livros (entre os quais, uma raríssima Bíblia de 1599), 15 mil objetos (pinturas, esculturas, mobiliário, instrumentos musicais, crucifixos, indumentárias e outros), 100 mil documentos, 85 mil fotografias e uma coleção especial de obras raras do século XVI até o século XX, como coleções de botânica, livros em couro, pergaminho e papel de trapo (feito em tecido e outros materiais orgânicos), entre outras.

Além da preservação dos acervos, o MusCap mantém pesquisas e difusão de temas relativos à presença dos Capuchinhos no Rio Grande do Sul. Conforme o diretor do MusCap, frei Celso Bordignon, que participa da live de lançamento do catálogo, no dia 27 de maio, o Museu já está com falta de espaço físico e virtual. Grande parte do acervo ainda necessita de pesquisa e documentação e aguarda apoio financeiro para a concretização dessas tarefas. Para participar da live no dia 27 de maio, às 19h, basta acessar museucapuchinhos no YouTube.

O lançamento do catálogo MusCap 20 Anos – Acervos e Memória coincide com as comemorações dos 125 anos da vinda da Missão Capuchinhos ao Rio Grande do Sul, que chegou em Garibaldi (então Colônia Conde d´Eu) em 18 de janeiro de 1896 e foi se estabelecendo ao longo do tempo em 32 municípios do Estado, além de firmar missões no Mato Grosso, Rondônia e Haiti. A obra conta com financiamento da Lei Municipal de Incentivo à Cultura (LIC) e apoio cultural das Empresas Randon S.A., Instituto Elisabetha Randon, Racon Consócios, Vanin – Soluções em Movimentações de Cargas e Materiais e Paris Administração e Participações Ltda. A produção cultural é assinada por Claudio Troian.

SONHO MOLDADO EM 1980

A história do MusCap remonta ao ano de 1980, quando quatro estudantes de Teologia, juntamente com o historiador frei Rovílio Costa, elaboraram um projeto- base para a concepção de um museu destinado a conservar o legado da congregação dos Capuchinhos no Rio Grande do Sul. Entre os estudantes estava o atual diretor do MusCap, frei Celso Bordignon.

Com autorização dos superiores, percorreram igrejas, conventos e seminários recolhendo objetos, livros, fotos, mobiliário, fragmentos e paramentos antigos. Todo o material permaneceu armazenado durante anos em Porto Alegre, sendo posteriormente transferido para Veranópolis. A saída da Gráfica e Editora São Miguel do prédio pertencente à paróquia Imaculada Conceição, em Caxias do Sul, no bairro Rio Branco, abriu espaço para o acervo e para a criação do museu.

Frei Celso Bordignon, que nessa época já havia se especializado em artes, conservação e restauro de bens patrimoniais e artísticos, foi chamado para a coordenação dos trabalhos de fundação do Museu dos Capuchinhos. A abertura ao público se deu em 6 de dezembro de 2000, ano que marcava também o segundo milênio do cristianismo. Desde então, o MusCap vem promovendo ações para tornar o Museu uma estrutura viva e dinâmica na comunidade, convergindo manifestações culturais, exposições variadas, projetos educacionais e promoção de cursos de artes e de educação patrimonial.

Fotos de Severino Schiavo