Caxias do Sul 20/04/2021

Governador sinaliza a entidades do comércio o retorno da cogestão a partir de segunda-feira

Fecomércio-RS solicita que o comércio possa abrir inclusive aos finais de semana e cobra solução para o ensino
Produzido por redação, 17/03/2021 às 11:14:59
Governador sinaliza a entidades do comércio o retorno da cogestão a partir de segunda-feira
Foto: Izlene Zortéa

Há três semanas em bandeira preta, proibindo o funcionamento do comércio não essencial, a Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Estado (Fecomércio-RS) obteve a sinalização do governador Eduardo Leite de retomada do modelo de cogestão a partir de segunda-feira (22/03), o que garantiria que as regiões voltassem a adotar protocolos condizentes com a bandeira anterior. O martelo será batido e anunciado na sexta-feira pelo governador, a partir de reunião com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).

No entanto, a entidade representante do comércio participou de reunião virtual com o governador no início da noite de terça-feira (16/03) para tratar da possibilidade de retomada de atividades comerciais, na qual obteve essa sinalização, em consonância com apelos do setor para que as regiões possam adequar as medidas de combate ao coronavírus de acordo com a realidade local.

O presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, considerou positiva a disposição do governo estadual em adaptar as medidas a partir da cogestão. Porém, reforçou o pedido para que a revisão dos protocolos de bandeira vermelha, com regras mais rígidas, não signifique o fechamento do comércio nos finais de semana. Além disso, ainda cobrou uma solução para as atividades de ensino, diante do projeto de lei aprovado pela Assembleia Legislativa, com o apoio da federação:

"O comércio deve ficar aberto todos os dias, inclusive para evitar aglomerações. Precisamos também de uma solução para as atividades de educação, que não foram incluídas no modelo de cogestão, mas que foram reconhecidas como atividade essencial em votação na Assembleia Legislativa nesta terça-feira", ponderou Bohn.

O presidente da entidade solicitou ainda ao governador que todas as atividades de comércio e serviços que mais foram prejudicadas pela pandemia sejam contempladas em medidas de subsídio à concessão de crédito emergencial, além de ações como extensão dos prazos para o pagamento de impostos.