Caxias do Sul 28/11/2020

ARTE NO MURO: quando o ferro retrata a imigração italiana

Monumento, com nove painéis em 200 metros de extensão, será inaugurado na noite desta sexta-feira embalado por uma peça de teatro itinerante em cidade da Serra Gaúcha
Produzido por Silvana Toazza, 20/11/2020 às 12:41:58
ARTE NO MURO: quando o ferro retrata a imigração italiana
Foto: Divulgação

POR SILVANA TOAZZA

Será uma noite de gala, um divisor de águas para a história de Nova Bassano, município com cerca de 9 mil habitantes encravado na Serra Gaúcha, a 120 quilômetros de distância de Caxias do Sul.

Isso porque às 19h desta sexta-feira (20/11), a comunidade local e regional é convidada a acompanhar a inauguração de um marco para a cidade. Um muro ao longo de 200 metros de extensão na rua principal, a Pinheiro Machado, próximo ao pórtico de acesso leste à cidade, virou moldura para uma arte única, inusitada, com alma.

Obra sendo afixada no amplo muro

Em nove módulos, a imigração italiana é retratada a partir de uma matéria-prima que garantiu o desenvolvimento do polo metalmecânico de Nova Bassano e de toda a Serra Gaúcha: o ferro. Foram dois anos para compor esse projeto artesanal pelas mãos de um “pedreiro e artista autodidata”, como se define Airton Primieri (confira no texto abaixo).

A protagonista da noite será a “Arte no Muro”, como vem sendo chamado o projeto das esculturas a céu aberto que já nascem sendo um ponto turístico da região. Porém, a obra ganhará ainda mais notoriedade com a apresentação de uma peça de teatro itinerante, permeando toda a extensão da rua, e utilizando como temática a saga da imigração.

O projeto envolve uma parceria entre a prefeitura, a Associação Vêneta de Nova Bassano (Avenoba) e patrocínios da iniciativa privada.

Artista com sua obra-prima: "nasci para fazer isso"

“Eu não queria grafite, já estava tudo na minha cabeça”

Quando foi convidado a dar um sentido para esse longo muro recém-criado em Nova Bassano, o pedreiro e artista autodidata Airton Primieri, 51 anos, já visualizou tudo pronto em sua mente e entendeu que o ferro poderia ser uma excelente matéria-prima, evocando a sua vital presença no polo metalmecânico.

Embora também se dedique à pintura de telas, não concordou em desenvolver algo como grafite, “uma vez que poderia desbotar com o tempo”.

“Eu enxergava o que ninguém via”.

Foi convicta de seu potencial que a prefeitura de Nova Bassano aceitou que ele materializasse na prática aquilo que já via na imaginação.



Foram dois anos de trabalho, com algumas pausas no meio, primeiro num pavilhão na Vila Bassanense e, por fim, numa metalúrgica (a Medalfo), quando, com a ajuda de maquinários e tecnologia, ao lado de quem sabia manejar as máquinas, conseguiu lapidar ainda mais sua arte.

Os painés surpreenderam, emocionaram e, desde sua colocação nas últimas semanas, viraram paradas obrigatórias de quem circula pela Pinheiro Machado.

“Não pensei duas vezes quando me desafiaram. Eu acho que eu nasci para fazer isso, só estava esperando essa chance para despertar. A magia da arte alimenta a alma, transforma”, emociona-se Airton, que cita a também artista conterrânea Beatriz Dagnese como madrinha do projeto, pois foi quem percebeu o potencial do espaço para a arte e teria mencionado o nome do agora escultor aos órgãos competentes.

O artista nasceu na Capela de São Marcos, área rural de Nova Bassano, e viveu "até os 12 anos na roça."

Espaço ressignificado e revitalizado

Analice Antoniolli, da Comissão Organizadora do Projeto Arte no Muro, salienta que inicialmente os muros foram criados como forma de contenção da faixa de domínio e, agora, foram ressignificados com a arte.

“Vamos contar a história de Nova Bassano desde a colonização até agora. A “Arte no Muro” é a representação de Nova Bassano, de cenários, de objetos do cotidiano. É a visão de mundo da gente deste determinado cantinho no sul do Brasil”, orgulha-se a professora, também integrante da Avenoba, entidade que brinda a comunidade com o espetáculo teatral.

19 atores amadores vêm ensaiando há 60 dias para a apresentação

“Será um palco gigante”

Na noite desta sexta-feira, 19 atores amadores utilizarão os painéis como moldura para expressar a arte do teatro, de forma itinerante, evidenciando toda a extensão dos 200 metros de muro. Mas mais do que isso: a arte em ferro será a grande estrela da noite, o teatro a transformará na protagonista.

O diretor do espetáculo é Marcelo Brentano, natural de Teutônia, com longa experiência cênica e em Natais Luz pela região.

“Será um grande desafio, pois o palco é gigante, com a encenação em frente aos painéis. O protagonista será esse monumento histórico. Uma obra ao ar livre. Algo divino feito por mãos bassanenses. Essa obra ficará eternizada na alma das pessoas a partir de hoje”, expressa o diretor.

Outro diferencial da noite é que o público também será desafiado, pois, diferentemente das tradicionais apresentações, precisará se deslocar como numa procissão para acompanhar a peça de teatro.

Os artistas vêm ensaiando há 60 dias e terão de trocar de figurinos e acessórios, muitos complexos, de forma cronometrada, com um arsenal que envolve iluminação, sonorização e a presença de duas cantoras, que entonarão inclusive o hino bassanense.

Trecho do Hino da cidade compõe painéis

A história de Nova Bassano

Nova Bassano surgiu de um povoado em 1891, denominando-se Bassano em lembrança da pátria dos imigrantes, a cidade de Bassano del Grappa (então, Bassano Veneto), na província de Vicenza, norte da Itália.

Em 1939, durante a Segunda Guerra Mundial, passou a chamar-se Silva Pais. Em 1947, passou a denominar-se Nova Bassano, em homenagem aos primeiros imigrantes. Até a 1898, Nova Bassano era parte do município de Lagoa Vermelha, passando após a ser subordinada à Alfredo Chaves, atual cidade de Veranópolis.

Em 1924, passou a pertencer a Capoeiras, atual cidade de Nova Prata. Em 23 de maio de 1964, emancipou-se, tornando-se um novo município.

Entenda melhor

O quê: Arte no Muro

Onde: Rua Pinheiro Machado, acesso leste de Nova Bassano, próximo à Bebidas Bassano

Quando: sexta-feira, 20 de novembro, às 19h

Pela internet: quem não puder participar presencialmente, pode acompanhar via transmissão pelo facebook da Rádio Vox FM, pelo www.facebook.com/VOXFM983