Caxias do Sul 25/07/2024

‘Temos contratos de compra e venda de energia elétrica até 2030’

Como garantir competitividade em um mercado vital para as empresas
Produzido por Maílson Nicaretta, 18/06/2024 às 08:47:49
Maílson Nicaretta é sócio-fundador e diretor executivo da Mercatto Energia
Foto: Laoni Nunes/Divulgação

Há 10 anos, instituímos no Rio Grande do Sul uma comercializadora de energia elétrica, ampliando nosso nicho inicial, que era ser uma consultoria corporativa voltada ao Mercado Livre.

Com isso, por ser um setor relativamente inusitado, muita gente nos questiona: “o que de fato faz uma comercializadora de energia elétrica?”.

Hoje, atuamos com uma mesa de operações aqui no Rio Grande do Sul, especificamente em Farroupilha, e outra em São Paulo Capital. Nosso negócio envolve a formalização de contratos de longo prazo com vistas à aquisição de energia elétrica de fontes renováveis, como a eólica, a solar, de biomassa e de pequenas centrais hidrelétricas, sendo que essa última opção lidera em quantidade.

Com isso, nossos clientes corporativos que acessam o Mercado Livre podem ter à disposição uma gama de alternativas de compra customizada de energia elétrica, com contratos vantajosos, previsibilidade orçamentária e uma economia na fatura que chega a 40% ao mês.

Há quem desconfie de como essa energia chega aos clientes. É preciso salientar que a rede de distribuição continua a mesma e que a energia elétrica ingressa nessa rede por meio do Sistema Interligado Nacional (SIN), que possibilita o fluxo de energia entre as diversas regiões brasileiras.

A comercializadora tem papel fundamental e estratégico no segmento, pois, através dela, podemos desenvolver produtos para atender cada perfil de nossos consumidores (a maioria empresas), ajustando prazos de contrato, demanda por energia elétrica e melhores preços. Temos habilitação junto aos órgãos competentes para comprar e vender energia do mercado, tanto por meio de leilões, de geradores, de consumidores e de outras comercializadoras também.

Toda a energia elétrica que comercializamos é 100% proveniente de fontes renováveis, o que garante valor agregado à empresa, à sociedade e ao meio ambiente.

Dentro do nosso grupo, entre 80% e 90% do faturamento provêm da comercializadora. É muito expressivo e vem crescendo pela proposta competitiva que conseguimos oferecer. Em 2023, duplicamos o número de contratos negociados. Nossa meta é ampliar em pelo menos 50% o faturamento da comercializadora em 2024, dobrando os números de clientes no país.

Temos contratos de compra e venda de energia elétrica até 2030, minimizando o risco a nossos clientes. Nosso trabalho é olhar para o cenário futuro e projetar como vai se comportar o preço dessa “commodity”, levando em conta variáveis de contexto do mercado e questões de clima e chuva para repor os reservatórios. Dispomos de uma equipe especializada voltada a uma análise do cenário conjuntural.

Quando há escassez hídrica em algumas regiões, é necessário acionar as termelétricas, gerando elevação de preço e mudança nas bandeiras tarifárias. Por isso, temos condições de comprar lotes de energia para vender no futuro com preço melhor, garantindo competitividade ao nosso consumidor. O mercado se movimenta todo o dia e é preciso conhecimento e estratégias para estar na dianteira do setor.

Maílson Nicaretta é sócio-fundador e diretor executivo da Mercatto Energia, a mais antiga comercializadora independente de energia elétrica do Rio Grande do Sul, especializada no Mercado Livre de Energia, com sede em Farroupilha, escritório em São Paulo e atuação nacional.

Leia também:

Um roteiro para aderir ao Mercado Livre de Energia

Parceria garante redução anual de 510 toneladas de gases de efeito estufa

Como uma empresa de Farroupilha integra as 100 melhores para trabalhar no país

“Para empreender não tem idade, mas exige mentalidade e resiliência”