Caxias do Sul 20/04/2021

MARCOPOLO E SCANIA fornecem primeiro ônibus movido a GNV para fretamento no Brasil

Assim como ocorre com caminhões, o setor demanda soluções sustentáveis e redução de custos
Produzido por redação, 06/02/2021 às 15:26:02
MARCOPOLO E SCANIA fornecem  primeiro ônibus movido a GNV para fretamento no Brasil
Foto: Divulgação Marcopolo

Num momento em que as empresas buscam matrizes energéticas mais sustentáveis e econômicas, a Marcopolo e a Scania unem seus potenciais na fabricação de carrocerias e chassis para fornecer o primeiro ônibus rodoviário movido a Gás Natural Veicular (GNV) para aplicações de fretamento no país.

Quem recebe a novidade é a Turis Silva, operadora de transporte da região Sul. O ônibus Marcopolo Paradiso 1050, com chassi K320 4x2, conta com soluções da plataforma BioSafe (para evitar propagação por coronavírus e outras doenças), como sanitário e sistema de ar-condicionado com lâmpadas UV-C para desinfecção dos ambientes; cortinas com material antimicrobiano e dispenser de álcool em gel na entrada da escada de acesso.

O veículo tem capacidade para transportar 44 passageiros em poltronas semi-leito e autonomia de cerca de 300 quilômetros.

“Com sistema de áudio e vídeo, o modelo se destaca pelo elevado padrão de conforto, comodidade e segurança que oferece para os usuários, além de menores custos operacional e de manutenção para o operador”, informou Leandro Sodré, gerente nacional de Vendas da Marcopolo.

O gerente de vendas de Ônibus da Scania no Brasil, Fábio D´Angelo, comemora a primeira versão rodoviária dedicada ao segmento de fretamento, como uma alternativa ao diesel:

“Assim como acontece com caminhões, os embarcadores vêm demandando soluções sustentáveis em sua cadeia logística. Os provedores de transporte estão sendo levados a comprar caminhões GNV e já existe esse movimento também para o transporte de fretamento”, explicou.

Além dos benefícios ambientais, o ônibus movido a GNV proporciona também economia no custo operacional, fomentando a demanda da utilização do combustível. O novo ônibus movido a Gás Natural Veicular recebeu modificações no projeto da carroceria para instalação dos cilindros de gás entre as longarinas do chassi (abaixo do assoalho). Confira foto abaixo.