Caxias do Sul 18/05/2021

O que leva a Randon a registrar receita líquida de R$ 5,4 bilhões no ano da pandemia

Conheça as estratégias da companhia que impulsionaram o crescimento de 6,5% em 2020
Produzido por redação, 05/03/2021 às 10:55:44
O que leva a Randon a registrar receita líquida de R$ 5,4 bilhões no ano da pandemia
Foto: Márcio Campos

Quando um conglomerado do porte do grupo caxiense Randon registra receita líquida consolidada de R$ 5,4 bilhões em 2020, conforme resultado divulgado à imprensa, o público questiona: "mas como, diante de um ano de pandemia e incertezas?"

Então, explica-se: o avanço de 6,5% no resultado sobre 2019 reflete um conjunto de ações da companhia, e não apenas um recorte de mercado e de cenário.

2020 foi marcado por aquisições relevantes, como a finalização da compra da Nakata Automotiva, pela Fras-le, movimento que contribuiu para o crescimento da empresa no mercado brasileiro de reposição e para o incremento direto da receita do ano. No período, também efetivou-se a compra da Fundituba, pela Castertech, empresa de fundição que ampliará a capacidade produtiva da Randon, fortalecendo ainda mais a participação no mercado de autopeças.

Além disso, o ano passado também contou com a consolidação da joint venture que criou a Randon Triel-HT e a conclusão da aquisição da metalúrgica Ferrari, pela Master. Para reforçar as ações de inovação, tecnologia e automação, houve a constituição das empresas Randon Ventures, Conexo e Randon Tech Solutions Industry – RTS Industry, além de iniciativas como o CTR Innovation Lab. Outro movimento significativo do difícil ano foi o ingresso da Suspensys no seleto grupo de empresas que compõem o consórcio modular da Volkswagem Caminhões e Ônibus, uma marca importante para a continuidade do processo de crescimento.

"Mesmo em um ano desafiador, tivemos um desempenho muito bom, alicerçado por nossos planos de expansão e pelos investimentos em inovação, que seguiram como foco. Adicionalmente, o ano que passou nos trouxe oportunidades de acelerar projetos envolvendo a nossa transformação cultural e digital, aprofundando temas emergentes e assuntos como a revisão de iniciativas de meio ambiente, e dando continuidade ao aprimorando da nossa governança corporativa", salienta o CEO das Empresas Randon, Daniel Randon.

A diversificação dos negócios também se descortinou como uma estratégia que impulsionou o desempenho favorável das Empresas Randon ao longo de 2020, na contramão de algumas empresas e setores. Essa ampla atuação da companhia considera a presença geográfica, o portfólio de produtos e os setores atendidos, o que permite o aproveitamento de oportunidades em mercados mais favoráveis, como, por exemplo, o agronegócio, que em 2020 representou mais de 70% da carteira de pedidos da divisão montadora da empresa.

Para o CFO (diretor financeiro) das Empresas Randon, Paulo Prignolato, os números do quarto trimestre de 2020 surpreenderam e foram melhores do que o esperado para o período.

"A forte demanda por semirreboques e a recuperação do mercado de caminhões possibilitaram avançar em volumes e receitas. Segmentos como agrícola e bens de consumo, este último principalmente impulsionado pelo crescimento do e-commerce, seguiram fortes, e a recuperação da indústria deu um fôlego adicional ao setor automotivo. Além disso, o mercado externo apresentou melhora frente aos meses anteriores, em razão da abertura de fronteiras, normalização de processos logísticos e pelo câmbio mantido em bons patamares para as exportações", explica.

Também pesou no balanço positivo o ganho relevante de processo tributário (exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS/COFINS) por algumas das unidades das Empresas Randon.

Medidas contra a Covid-19

Sob o aspecto da pandemia de Covid-19, as Empresas Randon adotaram diversas medidas e protocolos para proteger a saúde dos colaboradores e de seus familiares, para apoiar a comunidade e para manter a sustentabilidade de suas operações.

"Buscamos, mais do que nunca, reforçar o cuidado e a valorização dos 12 mil protagonistas que hoje integram a companhia. Além disso, atuamos muito próximos das comunidades onde estamos inseridos, com ações que envolveram, por exemplo, doação de equipamentos, insumos e materiais de proteção individual e fabricação de peças para respiradores", reforça o CEO, Daniel Randon.

A saber: em 2020, a receita bruta das Empresas Randon acelerou 5,6%, totalizando R$ 7,7 bilhões. Além disso, a companhia alcançou um EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 1,2 bilhão, com margem consolidada de 22,1%.