Caxias do Sul 27/05/2022

Grafeno entra em quadra de forma inédita em Caxias do Sul

Tecnologia é utilizada nos tecidos dos uniformes esportivos do Caxias do Sul Basquete, primeiro time de alto rendimento do mundo a utilizar o material
Produzido por Silvana Toazza, 27/01/2022 às 11:01:31
Grafeno entra em quadra de forma inédita em Caxias do Sul
Representantes da Liga Nacional de Basquete visitaram a UCSGRAPHENE para conferir a novidade
Foto: Claudia Velho

Uma tecnologia produzida pela planta da Universidade de Caxias do Sul, a UCSGRAPHENE, dá mais um salto de utilização e revoluciona o mercado têxtil. Dessa vez, o grafeno entrou em quadra, com a incorporação do material nos tecidos dos uniformes esportivos do Caxias do Sul Basquete.

Com a novidade, os tecidos tornam-se mais leves e resistentes, ajudando na dispersão do calor e da umidade causada pelo suor. Representantes da Liga Nacional de Basquete, com sede em São Paulo, visitaram a UCSGRAPHENE para conferir a inovação.

Os uniformes para a nova temporada do Caxias do Sul Basquete já utilizam o grafeno. Trata-se do primeiro time de alto rendimento do mundo a utilizar a tecnologia nas camisas dos jogadores.

A aplicação do grafeno, em 25% do tecido, é praticamente imperceptível e resulta no aprimoramento de características como o conforto para a prática esportiva e a compatibilidade térmica. É reduzido o tempo em que o material demora para absorver a temperatura do corpo, além de ajudar significativamente na dispersão do calor e da umidade causada pelo suor. Também são ampliadas propriedades como resistência mecânica e leveza do material.

Os tecidos foram produzidos em parceria com a Pettenati, indústria que vem desenvolvendo outros projetos com o uso da substância com a Zextec Nano e a UCSGRAPHENE, maior planta de produção, caracterização e aplicação de grafeno em escala industrial instalada por uma universidade na América Latina.

O Grafeno

yesÉ obtido do grafite a partir da reordenação hexagonal dos átomos do carbono. Foi isolado pela primeira vez em 2004, na Inglaterra, em pesquisa que ganharia o Prêmio Nobel de Física em 2010.

yesÉ o material mais leve e resistente do mundo (200 vezes mais resistente do que o aço), superando até mesmo o diamante, e o mais fino que existe (da espessura de um átomo, ou 1 milhão de vezes menor que um fio de cabelo).

yesPossui excelente condutividade térmica e elétrica, transparência e maleabilidade, sendo resistente ao impacto e à flexão.

yesDevido à alta resistência mecânica, capacidade de transmissão de dados e economia de energia, é considerado um dos maiores recursos da atualidade para aplicações em alta tecnologia.

yesVem sendo utilizado em todo o mundo na produção dos chamados materiais inteligentes, como componentes eletrônicos, baterias, telas e displays LCD, anticorrosivos, solventes, revestimentos, entre outros.