Caxias do Sul 20/04/2021

Governador anuncia bandeira preta para todo o Estado e suspensão da cogestão

Em comunicado online, Eduardo Leite disse que é preciso dar "um golpe duro nessa taxa acelerada de contágio"
Produzido por redação, 25/02/2021 às 17:26:53
Governador anuncia bandeira preta para todo o Estado e suspensão da cogestão
Foto: Itamar Aguiar / Palácio Piratini

Em meio a um cenário de interrogações por conta da bandeira preta em 11 regiões gaúchas, inclusive a de Caxias do Sul, o governo do Estado divulgou, nesta quinta-feira (25/02), em transmissão ao vivo pelas redes sociais, informações do combate à pandemia no Rio Grande do Sul. Foram comunicadas as decisões tomadas após reunião com prefeitos e associações regionais, a partir de tratativas com a Famurs, e os resultados da nona rodada do Epicovid19.

Um dos grandes comunicados foi a suspensão da cogestão (em que os municípios podem adotar medidas equivalentes à bandeira anterior) a partir de sábado até o dia 7 de março para os protocolos de bandeira preta. O governador Eduardo Leite também antecipou que nesta sexta-feira, na rodada do mapa de distanciamento controlado, todas as regiões gaúchas estarão em bandeira preta. Os municípios já foram comunicados do endurecimento das regras em reunião na tarde desta quinta-feira. E mais: não serão aceitos recursos e, excepcionalmente, a aplicação das bandeiras será antecipada para este sábado, e não na terça-feira, como ocorre normalmente.

Dessa forma, o comércio não essencial, tanto de rua quanto de shoppings, deverá fechar as portas. A prorrogação da suspensão geral das atividades para o Estado, das 20h às 5h, conforme decreto publicado nesta semana, será avaliada nesta sexta-feira pelo Comitê de Crise. Os protocolos atuais para bandeira preta já permitem as aulas presenciais do ensino infantil e do 1º e 2º ano do ensino fundamental.

"Precisamos de unidade no Rio Grande do Sul neste momento para o enfrentamento ao coronavírus. A melhor forma de homenagear os profissionais da linha de frente e as famílias que perderam entes queridos pela doença é dando um golpe duro nessa taxa acelerada de contágio", declarou o governador.

Cerca de 60% de quem vai para a UTI com coronavírus perde a vida, não retorna, afirmou Leite. Até agora, são 12.149 mortes confirmadas por coronavírus no RS. No momento, é de 91,4% a taxa de ocupação das UTIs Covid-19 no RS. Sexta-feira passada, dia 19, a taxa era de 80%. Mais de dez pontos percentuais em uma semana foi o aumento, considerado alarmante.

O governador pediu à população gaúcha para reduzir ao máximo as saídas, ficar em casa na medida do possível. Caxias do Sul tem o pior índice, com 45% da população saindo de casa diariamente, aponta pesquisa feita pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel). A partir dessa rodada, foi incluído um novo teste de anticorpos de Covid-19 para ajudar a determinar a prevalência na população gaúcha.

Além de Leite, participam da transmissão à imprensa o vice-governador Ranolfo Vieira Júnior, o coordenador do Comitê de Dados e secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia, Luís Lamb, os secretários Artur Lemos Júnior (Casa Civil), Arita Bergmann (Saúde) e Tânia Moreira (Comunicação), e o coordenador da Epicovid19, Pedro Hallal, além do professor da UFPel, Aluísio Barros.

Confira abaixo o protocolo da bandeira preta, ressalvando-se que eventuais alterações serão divulgadas pelo governo.

O que muda na bandeira preta

- No serviço público, apenas áreas da saúde, segurança, ordem pública e atividades de fiscalização atuam com 100% das equipes. Demais serviços atuam com no máximo 25% dos trabalhadores presencialmente.

- Serviços essenciais à manutenção da vida, como assistência à saúde humana e assistência social, seguem operando com 100% dos trabalhadores e atendimento presencial.

- Nos serviços em geral, restaurantes (a la carte ou com prato feito) podem funcionar apenas com tele-entrega e pague e leve, e 25% da equipe de trabalhadores. Essa definição também vale para lanchonetes, lancherias e bares. Salões de cabeleireiro e barbeiro permanecem fechados.

- O comércio atacadista e varejista de itens essenciais, seja na rua ou em centros comerciais e shoppings, pode funcionar de forma presencial, mas com restrições.

- O comércio de veículos, o comércio atacadista e varejista não essenciais, tanto de rua como em centros comerciais e shoppings, ficam fechados.

- Cursos de dança, música, idiomas e esportes também não têm permissão para funcionar presencialmente.

- No lazer, ficam proibidos de atuar parques temáticos, zoológicos, teatros, auditórios, casas de espetáculos e shows, circos, cinemas e bibliotecas. Demais tipos de eventos, seja em ambiente fechado ou aberto, não devem ocorrer.

- Academias, centros de treinamento, quadras, clubes sociais e esportivos também devem permanecer fechados.

- Todas as áreas comuns de lazer dos condomínios devem permanecer fechadas, incluindo academias.

- Locais públicos abertos, como parques, praças, faixa de areia e mar, devem ser utilizados somente para circulação, respeitado o distanciamento interpessoal e o uso obrigatório e correto de máscaras. É proibida a permanência nesses locais.

- Missas e serviços religiosos podem operar sem atendimento ao público, com 25% dos trabalhadores, para captação de áudio e vídeo das celebrações.

- Bancos, lotéricas e similares podem realizar atendimento individual, sob agendamento, com 50% dos funcionários.

- No transporte coletivo municipal e metropolitano de passageiros, é permitido ocupar 50% da capacidade total do veículo, com janelas abertas.