Caxias do Sul 19/06/2024

Duas empresas caxienses firmam parceria para reciclagem de areia de fundição

Projeto integra meta de zerar a disposição de resíduos em aterros industriais até 2025
Produzido por Silvana Toazza, 17/11/2023 às 11:42:15
Duas empresas caxienses firmam parceria para reciclagem de areia de fundição
Executivos das equipes de trabalho das companhias celebram parceria
Foto: João Lazzarotto

Uma parceria entre a Castertech Fundição e Tecnologia e a Caxiense Fagundes permite a reciclagem de areia de fundição - item de maior volume gerado nos processos industriais da empresa pertencente à Randoncorp. Dessa forma, nasce o Projeto Ecoareia, em que a unidade local da Castertech destinará resíduos à Caxiense Fagundes como matéria-prima para a construção civil. O projeto, que passou pela obtenção de licenciamento ambiental, integra meta da companhia de zerar a disposição de resíduos em aterros industriais até 2025.

Para marcar o início das operações do projeto Ecoareia, um evento realizado na terça-feira (14/11), na unidade da Castertech, em Caxias do Sul, reuniu executivos das equipes de trabalho das empresas envolvidas na parceria. O Ecoareia foi apresentado pela Randoncorp em 2021 como parte do Rota Verde, conjunto de metas ambientais a serem cumpridas até 2030, por meio de ações conjuntas de todas as unidades do grupo. Para atingir esse objetivo, a reciclagem de areia de fundição é um passo fundamental.

Com o nome técnico de areia descartada de fundição (ADF), o produto representa mais de 70% do volume de resíduos da Castertech. Também é o item de maior volume descartado nos processos industriais da Randoncorp. A ADF é derivada de areia sílica limpa, carvão e bentonita (argila natural), possuindo alta capacidade de compactação e, por isso, utilizada para formar os moldes de fundição de metais, principalmente aço e ferro. Depois de ser usada em vários ciclos, a areia perde as características originais e precisa ser descartada.

Na composição de manta asfáltica em estradas

Apenas na fundição de Caxias do Sul (RS), a Castertech gera cerca de 800 toneladas de areia ao mês. Com o Projeto Ecoareia, a Caxiense Fagundes recebe o resíduo e o reinsere na cadeia produtiva. A areia de fundição tem muita utilidade na construção civil. Por ter origem mineral, pode ser usada na base da composição da manta asfáltica em estradas e pavimentações em geral. A reutilização da areia de fundição ocorrerá como substituição parcial ao pó de brita.

Conforme o diretor da Castertech, Leandro Correa, inicialmente, serão destinadas ao parceiro, mensalmente, 400 toneladas de areia, cerca de metade do volume produzido pela unidade de Caxias do Sul. Para viabilizar a reciclagem, a areia precisa passar por um processo de destorroamento e remoção de partes metálicas para atender aos requisitos de matéria-prima da Caxiense Fagundes.

O potencial de reutilização de ADF, a partir do Ecoareia, pode ser ampliado às outras unidades de fundição do grupo, que funcionam em Indaiatuba (SP) e Schroeder (SC). Com isso, a reciclagem poderia chegar a 12 mil toneladas ao ano. Para atingir o objetivo, a companhia busca parceiros em outras regiões.