Caxias do Sul 18/08/2022

Por que acompanhar seus investimentos transforma a sua vida?

Importante não é apenas trabalhar para conquistar a liberdade financeira, e sim ter estratégia para acelerar a formação de seu patrimônio
Produzido por Márcia Dullius, 10/01/2022 às 10:04:37
Foto: Maria Zotti

Geralmente com a entrada do novo ano, revisitamos nossos objetivos e traçamos estratégias. É da natureza do homem sonhar e querer algo novo para se manter ativo e motivado a viver. É muito particular o que almejamos, sejam lugares para conhecer, projetos que visam beneficiar filhos, familiares, bens que tragam conforto, ou ainda uma mudança na vida profissional. O fato é que tudo isso está ligado à liberdade financeira.

No entanto, essa liberdade se torna real pelo planejamento, estratégia e dedicação. Por isso, o importante não é apenas trabalhar para conquistar a liberdade financeira, e sim ter estratégia de acompanhamento e dedicação para acelerar a formação de seu patrimônio.

Se olharmos pelo retrovisor, veremos que 2020 e 2021 foram anos de expectativa e incerteza: “quando teremos a vacina contra a Covid-19, novas variantes se formando pelo mundo, como melhoraremos nossa atividade econômica”, e percebemos que os obstáculos e as dúvidas continuam e são maiores do que previsto.

Financeiramente falando, o efeito está sendo altamente sentido por todos nós, no peso da inflação em nosso bolso, o que diminui o poder compra e o valor do dinheiro que conquistamos pela força do nosso trabalho. Essa inflação é percebida de diversas formas: no aumento generalizado de preços dos produtos consumidos, na alta do dólar, na valorização global do petróleo e no aumento dos preços da energia.

A alta da inflação, que para muitos era vista como transitória, se mostra persistente e tem gerado a necessidade da adoção de medidas mais severas na política monetária, não só no Brasil, como em diversos países do mundo. De acordo com o IBGE, a inflação acumulada até novembro de 2021 foi de 10,74% e, no mês, fechou em 0,95%. Para conter o avanço da inflação e segurar a escalada dos preços, o Banco Central Brasileiro fez diversos ajustes nos juros básicos, fechando 2021 com uma taxa básica de juros (Selic) na ordem de 9,25% ao ano.

Olhando para este cenário, de juros mais elevados, que em nove meses saímos de uma taxa de juros de 2% ao ano para 9,25% ao ano, se não acompanharmos de perto os investimentos, além de estarmos perdendo o poder de compra, o patrimônio financeiro não irá crescer conforme planejado.

É necessário acompanhar sua carteira de investimentos, separar sua reserva de emergência da reserva de longo prazo, investir seus recursos em produtos que estejam alinhados ao momento econômico, e que lhe tragam rendimentos de acordo com seu objetivo e perfil de investidor. No ano de 2021, conforme a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), 65% dos investidores brasileiros ainda preferiram investir em poupança, que no momento rentabiliza 6% ao ano + TR, ante a inflação de 10,74% (nov/21).

Esse é um motivo importante que precisa ser considerado na frequência da análise de sua carteira de investimentos, comparar seus rendimentos e buscar opções de produtos mais rentáveis e sem necessidade de correr risco. E acreditem, eles existem e estão disponíveis para qualquer nível de investimento geralmente a partir de R$ 1.000.

Neste ano, a tendência está nos papéis pós-fixados, que se beneficiam com a elevação da taxa de juros básica da economia, que, de acordo com o último relatório Focus do Banco Central, poderá terminar 2022 em 11,50%, praticamente o dobro da rentabilidade anual da poupança. Além dos pós-fixados, faz sentido diversificar e alocar parte de seus recursos em títulos pós-fixados atrelados à inflação mais uma taxa de prêmio fixa, como o Tesouro IPCA +, ou papéis de LCI, LCA, Debêntures incentivadas, CRIs e CRAs que além de oferecerem uma proteção contra a inflação, têm o benefício da isenção de IR.

Importante lembrar também que 2022 é um ano eleitoral e que, apesar de não ter nenhum padrão claro, tende a ser de volatilidade maior do que o normal. Por isso, é importante procurar profissionais que, através de uma assessoria especializada, possam oferecer soluções de investimentos diversificados e adequados a essa volatilidade e ao cenário econômico com vistas à conquista da sua liberdade financeira, tornando sua vida melhor.

*Márcia Dullius é sócia da RioSul Agente Autônomo de Investimentos, de Caxias do Sul. Graduada em Ciências Econômicas pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS), pós-graduada em Marketing com Ênfase em Vendas pela Universidade Feevale RS e MBA em Master em Gestão de Negócios pelo Instituto de Ensino e pesquisa – INSPER SP. Atua há 33 anos no mercado financeiro, tendo iniciado sua carreira no Banco Meridional e, posteriormente, no Banco Santander. Possui certificação CPA-20, CEA (especialista em investimentos), ANCORD e CFP® (Certified Financial Planner).

Site: https://riosulinvestimentos.com.br/

Leia também:

https://www.silvanatoazza.com.br/noticias/detalhe/novo-escritorio-de-investimentos-de-caxias-do-sul-une-100-anos-de-experiencia-dos-tres-socios