Caxias do Sul 19/04/2024

O caminho do sucesso na nova era das organizações

As competências socioemocionais estão diretamente ligadas ao profissional do futuro
Produzido por Edson de Paula, 30/03/2024 às 09:55:50
Edson de Paula é doutor em Psicologia Organizacional
Foto: ARQUIVO PESSOAL

Vivemos uma revolução silenciosa que redefine o que significa ser um profissional eficaz e bem-sucedido.

As competências socioemocionais estão no coração dessa transformação e são habilidades que vão muito além do mero conhecimento ou competências técnicas e experiência profissional: elas são fundamentais para o sucesso na nova era das organizações.

Há uma crescente complexidade e interconexão do mundo corporativo, onde problemas multifacetados exigem soluções colaborativas em que as competências socioemocionais tornam-se essenciais para promover a conexão com outras pessoas. Elas ajudam a controlar emoções, construir relacionamentos saudáveis e se aproximar por meio de uma comunicação empática.

A capacidade de entender e se conectar com colegas, clientes e stakeholders não melhora somente a comunicação, como fomenta um ambiente onde a inovação pode ser a mola propulsora para o sucesso das organizações. A empatia, como uma habilidade comportamental, permite que profissionais antecipem necessidades, entendam diferentes pontos de vista e trabalhem de forma eficiente em equipes diversificadas, demonstrando como o sucesso organizacional está profundamente ligado à competência interpessoal.

Outro aspecto primordial é a resiliência. No universo dos negócios, dinâmico e muitas vezes imprevisível, sujeito a mudanças rápidas e inesperadas, essa habilidade é indispensável. A capacidade de se adaptar e permanecer focado diante de adversidades diferencia os líderes de sucesso. Profissionais maduros enfrentam desafios, aprendem com falhas e mantêm uma atitude positiva, mesmo sob pressão, reforçando a importância da resiliência como força interior e como ela é urgente no dinamismo empresarial.

Mas o grande catalisador do desempenho individual e organizacional ainda é a inteligência emocional. Essa é a espinha dorsal das competências socioemocionais, englobando a autoconsciência, a autogestão, a consciência social e as habilidades de relacionamento. Profissionais com alta inteligência emocional são mestres em gerenciar suas emoções e as dos outros, um fator crítico em ambientes de trabalho estressantes. Eles motivam a si mesmos e aos outros, gerem conflitos de forma eficiente e tomam decisões equilibradas, que mostram a relevância da maturidade emocional no local de trabalho.

A flexibilidade pode ser desenvolvida por meio da criatividade e da inovação. A capacidade de pensar fora da caixa, gerenciar e comunicar novas ideias e abordagens e ser flexível quebrando paradigmas é necessário. Isso deixa os profissionais melhor preparados para se adaptarem e liderar a transformação digital e inovadora nas organizações, diante de um mundo que está em constante mudança.

O crescimento socioemocional leva tempo, pois, ao longo das nossas vidas, continuaremos a ser moldados pelas nossas experiências, aprendendo, desaprendendo e reaprendendo constantemente. Essas experiências podem incluir situações novas dentro da empresa, como "job rotation", mudar de área, participar de grupos de projetos específicos, desenvolver projetos sociais ligados à marca, conhecer novas pessoas, superar situações difíceis e de conflitos, participar de programas de mentoria e programas de reconhecimento que valorizam o aprendizado socioemocional de cada profissional.

Competências socioemocionais são imprescindíveis, pois capacitam as pessoas a se conectarem de maneira mais profunda com seu trabalho, colegas e a missão de sua organização. Além disso, promovem um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo, essencial para o bem-estar mental e a satisfação no trabalho.

É um ponto de atenção neste momento, que empresas e profissionais deem o devido valor ao desenvolvimento dessas habilidades. Investir em treinamento e desenvolvimento focado em competências socioemocionais pode ser uma estratégia para o sucesso individual e um passo fundamental para a construção de organizações mais fortes e resilientes no futuro.

Edson de Paula é doutor em Psicologia Organizacional, especialista em comunicação e comportamento.