Caxias do Sul 20/04/2021

Reajuste de até 25% nos aluguéis de salas comerciais preocupa comerciantes

Sindilojas de Caxias pede apoio da Associação das Imobiliárias local para negociar contratos diante do cenário de perdas do varejo
Produzido por redação, 25/02/2021 às 16:20:29
Reajuste de até 25% nos aluguéis de salas comerciais preocupa comerciantes
Muitos pontos comerciais estão fechados na cidade
Foto: Cristhian Silva

Comerciantes vêm manifestando preocupação com reajustes de até 25% nos aluguéis das salas comerciais, o que poderia inviabilizar a manutenção das lojas diante de um cenário de vendas tímidas e restrições do atendimento por conta da Covid-19.

Diante desse contexto difícil, o Sindicato do Comércio Varejista (Sindilojas) de Caxias pleiteia o apoio da Associação das Imobiliárias local (Assimob). O objetivo é sensibilizar as imobiliárias de Caxias do Sul quanto a dificuldade de suportar os reajustes dos aluguéis das salas comerciais, considerando os desafios enfrentados pelos comerciantes durante a pandemia.

Dessa forma, a presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini, enviou correspondência ao presidente da Assimob, Nelson D'Arrigo. No documento, a executiva pede que sejam analisados e negociados os reajustes praticados pelas imobiliárias em Caxias do Sul para salas comerciais. A justificativa é de que o comércio varejista não essencial já acumula perdas, sem previsão de recuperação com o agravamento da pandemia.

"O comércio dito 'não essencial' tem sido, em grande parte do tempo, limitado em suas atividades, e, por mais que seja legal um aumento de 25% nos aluguéis das salas comerciais, estamos contando com o bom senso da Assimob para buscar uma alternativa junto às imobiliárias", explica a presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini.

Muitos pontos comerciais estão fechados e não voltaram a ser ocupados por novos inquilinos na cidade, ampliando a oferta de salas e exigindo a sustentabilidade financeira nesse momento em que todos estão enfrentando adversidades. Por isso, o Sindilojas sugere que os associados da Assimob sejam alertados sobre essa preocupação, para que seja repensado o aumento que algumas imobiliárias vêm praticando.

A saber: o comércio caxiense fechou 2020 com perdas e tem forte participação na economia caxiense.