Caxias do Sul 20/01/2021

“No momento em que você pensar em ficar parado, certamente vai quebrar”

Executivo caxiense revela como venceu a pior crise da história de 50 anos de sua empresa e traça planos para 2021, com um janeiro sem grandes pausas
Produzido por Silvana Toazza, 02/01/2021 às 10:56:43
“No momento em que você pensar em ficar parado, certamente vai quebrar”
Paulo Magnani é diretor geral da Magnani
Foto: Gilmar Gomes

POR SILVANA TOAZZA

A pior crise econômica já vivida nos 50 anos de história da Magnani Luz e Energia, em 2020, por conta da Covid-19, a deixou assustada, mas também foi o combustível vital para a criação de um ambiente colaborativo e de superação.

Estratégia essa que, mesmo diante de um cenário de incertezas, contribuiu para que a empresa, com matriz em Caxias do Sul e filial em Torres, fechasse o ano com crescimento médio impressionante de 50% e o reforço da equipe de profissionais.

Nessa entrevista exclusiva, também em formato de vídeo (link ao final do texto), o diretor geral de uma das marcas mais tradicionais do mercado de iluminação e energia do RS, Paulo Magnani, avalia o ano recém-terminado e fala com otimismo das expectativas para este 2021. Leia a "Conversa Afiada" com essa importante liderança, que já foi presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul, e inspire-se:

Como a Magnani Luz e Energia conseguiu enfrentar o difícil e atípico ano de 2020?
Foi um ano muito difícil. Foi um baque quando recebemos a informação de que deveríamos fechar. Imagine fechar por 15 dias! Fizemos reuniões e reuniões, e chegamos à conclusão de que deveríamos mudar a postura da gestão, de como agir naquele momento. As pessoas se envolveram bastante e criamos ali um ambiente colaborativo, em que todos ajudaram, todos colaboraram. Conseguimos resultado inédito naquele período. Os funcionários extrapolaram a sua capacidade, o seu comprometimento. Mesmo na crise, conseguimos crescer em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse termo “colaborativo” a gente passou a usar não só internamente, mas também com nossos fornecedores e clientes. Com isso, criamos toda uma logística de atendimento, uma previsão de estoque. Aprendemos a fazer coisas que não fazíamos antes, e isso acabou ajudando o nosso desempenho.

Em 50 anos, foi a pior crise já vivida pela empresa?
Sim, foi a pior crise pela qual já passamos, inclusive ainda estamos passando. Temos clientes com sérias dificuldades. Há mercados que não podem trabalhar. Artistas, músicos, bares e restaurantes com dificuldades. Foi muito difícil passar por isso. Perdemos clientes de muitos anos que não estão mais operando porque tiveram de fechar as portas. Fiquei muito assustado, mas, como já passamos por várias crises, temos força para enfrentar, temos estratégias montadas.

Mesmo assim, 2020 se despede com crescimento?
Estamos num regime de crescimento, fora da curva, contratando e gerando oportunidades inclusive para profissionais de dentro da empresa. Eu diria que é necessário crescer neste mercado. No momento em que você pensar em ficar parado, certamente vai quebrar. Todo mundo tem a necessidade de crescer e todos têm de estar incrementando essa visão de ganhar mercado, senão as pessoas se acomodam. Temos esse movimento implantado dentro da empresa, com foco na necessidade de crescer.

Qual o segredo da longevidade da Magnani Luz e Energia, que completou meio século em 2020?
Somos conservadores. Mantemos o princípio de respeito às pessoas, aos clientes, àquilo que aprendemos no berço com os nossos pais. Nisso, somos muito conservadores. Mas não somos nada conservadores quando se fala em inovação, porque sempre estamos na frente, procurando buscar fornecedores, produtos, soluções que chegam antes no mercado através das nossas mãos. Isso tem nos trazido bastante sucesso. Estamos sempre nos ajustando aos novos tempos, assimilando essas mudanças, para sermos sempre os primeiros a apresentar as novidades ao mercado.

Quais as tendências que se desenham no setor de luz e energia para os próximos anos?
Eu diria que estou no mercado certo, do jeito que a gente gosta de trabalhar mercado. O setor de material elétrico, iluminação, energia solar está inovando a cada segundo, a cada minuto. Temos hoje energia solar, veículos elétricos, evolução do LED, economia de energia, ambientes melhor iluminados, com melhor conforto, melhor produtividade, conectividade, você tem acesso a acionamentos a distância. A indústria entrando no 4.0, internet das coisas. Então, veja bem: isso é uma partezinha do que virá pela frente, de quanta oportunidade teremos. Precisamos ajudar o cliente a assimilar as novidades.

O que dá para esperar da economia em 2021?
Nós nem esperamos, nós já planejamos um 2021 com crescimento aceitável porque os mercados estão em movimento. Estamos enxergando a construção civil crescendo, a indústria avançando, o comércio vendendo mais, serviços também já melhorando. Ingressamos num mês de janeiro em que não vamos notar diferença como notávamos nos anos anteriores, com aquela parada. Vamos ter uma ascensão até dezembro. A economia tem de se recuperar porque senão teremos problemas. Há um esforço não só da nossa empresa, mas de todas, para se recuperar. Estamos enxergando os mercados em crescimento e com planejamentos bem interessantes para o ano que se inicia.

Qual a mensagem para a comunidade empresarial e para os clientes? Mesmo nos momentos difíceis, não devemos desanimar, se entregar, ficar com medo. Um ano mais difícil do que 2020 quase ninguém enfrentou, e muitos estão ali porque acreditaram na sua capacidade, na capacidade de sua equipe e das pessoas que os rodeiam. Certamente, teremos outras crises e devemos trabalhar neste ambiente colaborativo, de união, pois isso leva ao sucesso. Se você tem colaboradores, junte-se a eles e faça como nós: criamos um ambiente colaborativo e vencemos essa crise.

Assista ao vídeo desta entrevista exclusiva:

"Não devemos desistir"