Caxias do Sul 01/12/2020

Indústria da Serra comemora aumento de demanda, maior faturamento e contratações

Setor metalmecânico confirma ritmo de retomada gradual das atividades
Produzido por redação, 26/10/2020 às 10:20:25
Indústria da Serra comemora aumento de demanda, maior faturamento e contratações
Foto: Simecs

Diante das incertezas econômicas trazidas pela pandemia, as empresas ficaram aflitas sobre o futuro, se a demanda voltaria e em que patamar. Uma boa notícia sopra do principal motor econômico da Serra Gaúcha. Quase 60% das indústrias metalmecânicas da região identificaram aumento da demanda, resultado três vezes maior do que o levantamento anterior, de agosto.

Essa melhora expressiva na indústria foi diagnosticada pelo Levantamento de Dados divulgado nesta segunda-feira (26) pelo Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul e Região (Simecs). A coleta de informações ocorreu entre os dias 21 de setembro e 9 de outubro, com a participação de 218 empresas, dos 17 municípios representados pela entidade.

Outro dado merece ser comemorado: o percentual de empresas do setor que registraram alta do faturamento subiu de 14% em agosto para 51% agora. Na esteira contrária, caiu o índice de indústrias que obtiveram queda no faturamento: de 55% para 13%. Já 1/3 das companhias consultadas informou que o faturamento seguiu estável no período analisado.

“Os resultados refletem que as empresas estão em ritmo de retomada gradual das atividades, mesmo em meio ao cenário desafiador. Devemos seguir atentos aos protocolos de saúde recomendados, para que possamos continuar nessa crescente. Dessa forma, conseguiremos conciliar a recuperação da economia da nossa região e o cuidado com a saúde de toda a população, sem correr riscos de regredirmos”, destaca o presidente do Simecs, Paulo Spanholi.

Um terceiro motivo para esfregar as mãos é a informação de que 62,5% das empresas entrevistadas confirmaram terem realizado novas contratações, enquanto 43% apontaram não terem efetuado nenhuma demissão entre setembro e outubro.

Escassez de matéria-prima preocupa

Como nem tudo são flores na escalada de recuperação, o setor metalmecânico demonstrou preocupação com a carência de matéria-prima.

Das 218 empresas ouvidas, 120 destacaram que estão com “muita dificuldade” em obter insumos básicos, em razão da variação/aumento frequente do preço e da escassez de materiais como aço, cobre e plásticos.