Caxias do Sul 20/04/2021

GRUPO RANDON adquire empresa caxiense por R$ 21,5 milhões

Aquisição fortalecerá negócios no setor agrícola
Produzido por Silvana Toazza, 28/01/2021 às 11:01:43
GRUPO RANDON adquire empresa caxiense por R$ 21,5 milhões
Foto: divulgação

Mais um movimento do grupo Randon consolida seu plano de expansão no filao agrícola. O conglomerado, por meio de sua controlada Castertech Fundição e Tecnologia, anunciou aos seus acionistas e ao mercado a aquisição de 100% do capital da CNCS Indústria Metalúrgica Ltda, localizada em Caxias do Sul.

O valor da transação é de R$ 21,5 milhões. As tratativas foram deflagradas ainda no ano passado, sendo concluídas na quarta-feira (27 de janeiro). A finalização do processo de aquisição ainda depende do cumprimento de determinadas obrigações precedentes, assumidas pelas partes.

A aquisição permitirá a ampliação da capacidade de produção das Empresas Randon em processos de usinagem, ao mesmo tempo em que fortalecerá a posição da empresa no segmento agrícola, com ampliação de capacidade produtiva e entrada em novos mercados.

“Essa aquisição é mais um passo no plano de expansão da companhia, seguindo o seu plano estratégico de negócios. Com a nova unidade, ampliamos nossa carteira de clientes, que atualmente se concentra nas principais montadoras de caminhões, ônibus e semirreboques, adicionando fabricantes de máquinas e implementos agrícolas”, reforça o diretor de Suspensão e Rodagem das Empresas Randon, Eduardo Dalla Nora.

Executivos das companhias se reuniram para a assinatura do contrato da compra da CNCS pela Castertech (Foto: Alex Battistel)

Com esse movimento, a Castertech ampliará a sua receita em R$ 27 milhões e aumentará a capacidade de usinagem em 35%. A empresa adquirida possui tecnologia atualizada e está localizada no bairro Cristo Redentor, em Caxias do Sul. Os cerca de 100 funcionários que já atuam na unidade serão integrados ao time da Castertech.

Especializada em soluções de sistemas de rodagem e suportes fundidos e usinados, a Castertech tem uma trajetória de crescimento acelerado e sustentável. Recentemente, expandiu a atuação nacional com a nova unidade de Indaiatuba, no interior de São Paulo, e almeja para os próximos anos um aumento ainda maior de capacidade de produção e projeção no mercado de exportação.

“A Castertech vem conquistando posições e se consolidando como uma empresa que oferece a solução completa de sistemas fundidos e usinados, atendendo às necessidades e oportunidades do mercado. São esses movimentos de expansão que garantem uma capacidade produtiva adequada à demanda e com posições logísticas estratégicas”, destaca o vice-presidente executivo e COO (diretor de operações) das Empresas Randon, Sergio L. Carvalho.

Para conhecer: Fundada em 1993, a CNCS nasceu focada na fabricação de peças usinadas destinadas à indústria metalmecânica. Passada uma década do início de suas atividades, voltou sua produção ao mercado agrícola, especializando-se no fornecimento de produtos para grandes empresas do setor. Dessa forma, a empresa já fornecia produtos para o Grupo Randon há muitos anos.

Em operação desde 2009, com sede em Caxias do Sul, a Castertech surgiu, inicialmente, para atender às necessidades internas das Empresas Randon. Hoje, a empresa fornece seus produtos para montadoras de caminhões, ônibus, semirreboques, sistemistas automotivos, para o segmento agrícola e para o mercado de peças de reposição.

Assessoria na aquisição

A Stonecapital, empresa especializada em fusões e aquisições com sede em Caxias do Sul, assessorou a Randon na aquisição e já havia trabalhado para o grupo em outra transação.

Segundo Ricardo Schmitt, sócio-fundador da Stonecapital e responsável pela condução dos trabalhos junto ao comprador, as aquisições dentro do setor metalmecânico, especialmente de empresas ligadas ao agronegócio, se intensificarão neste ano.

“Temos um momento muito oportuno para o Brasil, no que diz respeito ao mercado agrícola. Com as commodities em alta e a melhora das expectativas para a economia, o investimento se torna uma necessidade, impactando vários elos da cadeia, do produtor ao distribuidor de insumos. O agronegócio é nossa maior vocação econômica e devemos ressaltar que temos bastante a ensinar ao mundo sobre produção agrícola”, destaca.