Caxias do Sul 25/07/2024

Estações meteorológicas beneficiam produtores de uva na Serra Gaúcha

Equipamentos foram instalados em pontos da região e disponibilizam informações relevantes ao setor
Produzido por Silvana Toazza, 17/06/2024 às 15:35:25
Estações meteorológicas beneficiam produtores de uva na Serra Gaúcha
Acesso a dados meteorológicos ajudará agricultores
Foto: Roberto Gonçalves Terra/Divulgação

A produção de uvas da principal região vitícola do país, a Serra Gaúcha, passa a contar com quatro estações meteorológicas, instaladas nas localidades de Antônio Prado (Capela Caravaggio - Linha Almeida), Farroupilha (Nova Milano - Linha Boêmios), Garibaldi (São Roque Figueira de Melo) e Bento Gonçalves (Distrito de Tuiuty).

Cada equipamento cobre um raio de até 50 km, beneficiando os produtores rurais localizados dentro desse perímetro com informações climáticas precisas e sem custo. Eles receberam treinamento sobre o uso da plataforma digital, garantindo a utilização eficiente dos dados fornecidos por meio de um aplicativo próprio instalado no aparelho celular.

As novas estações meteorológicas foram adquiridas pela parceria entre o Instituto de Gestão, Planejamento e Desenvolvimento da Vitivinicultura do Estado (Consevitis-RS) e o Sistema de Monitoramento e Alertas Agroclimáticos (Simagro-RS) da Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária, Produção Sustentável e Irrigação (Seapi-RS). Os equipamentos foram fornecidos pela startup de desenvolvimento de tecnologias para gestão dos agronegócios Elysios.

Informações garantem estratégias

As estações fornecem dados sobre temperatura do ar, índice pluviométrico, previsão do tempo, radiação solar, umidade do ar, pressão atmosférica, horas acumuladas de frio, molhamento foliar, umidade do solo e velocidade do vento.

"Com essas informações, os técnicos, em conjunto com os agricultores, poderão avaliar, por exemplo, o momento mais adequado para plantio de mudas, manejo da poda, tratamento de doenças, irrigação e colheita. O sistema também pode fazer prevenção de eventos climáticos, como geada, e comprovar sinistros climáticos no acionamento do seguro", reforça o presidente do Consevitis-RS, Luciano Rebellatto.

O acesso a dados meteorológicos precisos pode resultar em economia de tempo e recursos financeiros, através da redução de custos com a aplicação de insumos agrícolas de forma mais eficiente. Além disso, espera-se uma melhora na produtividade e na qualidade da matéria-prima fornecida à indústria vinícola.