Caxias do Sul 28/09/2021

Escolha da iluminação, um desafio e uma oportunidade de viver melhor

Tecnologia, automação e luz que imita o relógio biológico humano exigem profissionais capacitados para atuar nesse mercado
Produzido por Silvana Toazza, 17/12/2020 às 16:00:40
Escolha da iluminação, um desafio e uma oportunidade de viver melhor
Maximiliano Magnani auxilia clientes e arquitetos
Foto: Angélica Magnani

O ato de escolher a iluminação de uma casa, escritório, restaurante ou indústria deixou de ser uma banalidade secundária e despersonalizada, como nos tempos de nossos avós, para se revestir em uma oportunidade de vivenciar uma experiência pessoal e propositiva, agregando valor a nossas vidas e às nossas marcas.

Hoje, arquitetos e designers de interiores estudam o mercado e buscam soluções customizadas para definir qual a iluminação, as lâmpadas e as luminárias adequadas dependendo do ambiente e de sua finalidade.

É nesse sentido que a Magnani Luz e Energia identificou as oportunidades tecnológicas desse filão e disponibiliza um profissional especializado (que atende às demandas das duas unidades, em Caxias do Sul e Torres) para auxiliar na curadoria dos projetos. Ele funciona como braço direito de arquitetos, mas também orienta, na tomada de decisões, quem não tem a menor ideia de que lâmpada escolher para o seu quarto, por exemplo.

Maximiliano Feldens Magnani é arquiteto e atua como consultor e suporte técnico na empresa. Tudo porque o mercado de iluminação hoje traz tantas opções e possibilidades quanto a imaginação humana consegue alcançar.

“Oferecemos orientação técnica na escolha da iluminação. Evoluiu muito em termos de opções que oferecem conforto óptico, fluxo luminoso, cores e eficiência energética. O público precisa atentar na hora de definir, porque não é todo o tipo de orientação que funciona para todo o tipo de ambiente e de uso”, salienta.

Maximiliano afirma que, além da tonalidade de luz e da temperatura das lâmpadas, há propostas para todos os acabamentos e estilos, sejam contemporâneos ou clássicos.

Nem toda a iluminação funciona para o mesmo restaurante, explica. Por exemplo, se o ambiente é de circulação rápida, bufê a quilo ou fast food, a iluminação branca pode ajudar a gerar uma rotatividade mais intensa. Já para criar uma atmosfera intimista, em que o público queira permanecer mais tempo conversando e no qual as pessoas não fiquem tão expostas, uma iluminação mais quente, amarela, seria a mais indicada.

As gradações dentro da mesma temperatura de cor também são amplas. Portanto, a atuação de um profissional nesse caso não só é esclarecedora como evita perda de tempo e erros estratégicos num negócio ou numa moradia.

Num mesmo ambiente corporativo é possível, inclusive, alterar a programação da iluminação ao longo do dia, dependendo do momento, se houver reunião, se precisar de concentração, etc.

A automação com cenários e sensores de LED que controlam a iluminação já é uma realidade, com infinitas possibilidades, com interruptores inclusive cravejados com cristais Swarovski, ouro ou couro. Dentro desse contexto, entra em cena a iluminação que imita o ciclo circadiano, que designa o período de 24 horas sobre o qual se baseia o relógio biológico dos seres humanos, com influência da variação de luz.

É nesse sentido que as escolhas certas da iluminação, que pode ser alterada imitando o horário do dia, auxiliam no bem-estar e na saúde. Hospitais, hotéis, escolas e grandes magazines já estão investindo na automação, com a conexão com a “internet das coisas” (comandos remotos de aparelhos eletrônicos, eletrodomésticos e iluminação via telefone celular), o que permite mudança de cenários com apenas um toque no smartphone, ou mesmo a programação para que a iluminação imite a luz solar ao longo do dia. A conectividade ganha ainda mais potencialização a partir de comandos a distância de secretárias/assistentes virtuais.

É possível, por meio da alteração da temperatura de cor e dos níveis de luminosidade, simular o curso da luz natural de tal forma a interferir positivamente no ritmo circadiano humano. Numa escolinha infantil, por exemplo, a intensidade de luz mais fria pode ser utilizada para despertar as crianças, mantê-las acordadas e, quando invertida para mais quente, tem a função de acalmá-las.

O trabalho de Maximiliano Magnani vai além de estar ao lado do cliente, mas começa na hora de cuidar do elenco de compras da empresa e na relação com os fornecedores para itens diferenciados, para trazer novidades ao varejo gaúcho.

Esse é um mercado que está cada vez mais radiante em sintonia com a importância que o público começa a dar para mais qualidade de vida, com ambientes residenciais e empresariais mais aconchegantes, produtivos e funcionais.

O quê: Magnani Luz e Energia

Endereços: Av. Rubem Bento Alves, 4.549 - Santa Catarina, Caxias do Sul

Av. Barão do Rio Branco, 876, Torres

Site: www.magnani.com.br

Leia também:

Interruptores elétricos com cristais Swarovski? Sim

Empresa da Serra inaugura primeira estação de recarga de veículos elétricos em Torres