Caxias do Sul 25/07/2024

Como as empresas podem integrar IA nos seus negócios

Estudo mostra que 71% das companhias não estão preparadas para incluir essa tecnologia em seu cotidiano
Produzido por Harold Schultz, 10/07/2024 às 09:05:10
Harold Schultz atua como consultor em transformação digital e inovação
Foto: ARQUIVO PESSOAL

Atualmente, é possível perceber a rapidez com que a inteligência artificial (IA) cresce, mas muitas empresas não fazem ideia do potencial que essa tecnologia oferece.

As companhias que se adaptarem a trabalhar nesse formato terão mais chances de se desenvolver e ganhar destaque junto com a IA. Das empresas no país, 71% afirmaram que não estão preparadas para integrar a IA nos seus negócios, com apenas 29% das companhias totalmente preparadas para implantar a tecnologia, é o que indica o primeiro Índice de Preparação para Inteligência Artificial da Cisco.

Podemos perceber que não é apenas um problema que acontece no Brasil. Uma pesquisa recente do Departamento de Censo dos EUA revelou que apenas 5,4% das empresas americanas utilizam IA, e que 80,9% das companhias não utilizam a tecnologia por considerarem que ela não se aplica ao seu tipo de negócio.

O grande desafio das empresas neste ano será permitir cada vez mais o uso de IA Generativa dentro dos negócios, pois é uma tecnologia que está avançando em um ritmo acelerado. Ela é capaz de criar textos, imagens, músicas e muito mais. As empresas podem se aproveitar desse recurso para integrá-la com CX, com soluções de bots, chatbots e voice bots, que é uma tendência forte para 2024.

No momento, as organizações que não implementaram o uso da inteligência artificial correm contra o tempo. Enquanto outras empresas se adaptam com a tecnologia e treinam os seus funcionários para trabalharem em conjunto com as novas soluções, outras companhias ainda não começaram esse processo e podem ter os seus negócios afetados negativamente.

Além das empresas implementarem a inteligência artificial nos seus negócios, é importante que elas façam isso de uma maneira eficiente. Por exemplo, com uma integradora, que conte com diversas soluções e parceiros. Contar com uma integradora é saber que o executivo poderá focar 100% em seus negócios, enquanto a empresa desenvolve outros pontos de tecnologia, com aplicações, soluções e aprimoramento. A integração deve ocorrer de uma maneira funcional e, principalmente, que não afete outros setores da empresa. Por isso é tão importante contar com uma integradora experiente.

Outro ponto que as companhias devem atentar nessa nova fase é sobre o desenvolvimento de habilidades dos seus profissionais em sua área de atuação. Começar a trabalhar com IA de uma hora para outra pode causar dificuldades para algumas pessoas, assim, o upskilling é importante para o aprimoramento dos funcionários em suas funções.

É necessário que as empresas aproveitem para navegar o “início” dessa onda da inteligência artificial capacitando seus profissionais e construindo parcerias sólidas, para que não fiquem atrasadas em relação a outras companhias. Eu costumo dizer para os executivos: se você não está causando a disrupção do seu negócio, alguém está. Por conta disso, a integração da IA deve ser feita da maneira mais funcional possível.

Harold Schultz é consultor em transformação digital e inovação.