Caxias do Sul 06/07/2020

Reconsideração de bandeira? O que pede a prefeitura de Caxias em ofício encaminhado ao governador

Executivo local apresentou tom do documento a lideranças empresariais, e governador ouvirá prefeitos das quatro regiões que migraram para bandeira vermelha ao longo da tarde
Produzido por redação, 15/06/2020 às 12:56:22
Reconsideração de bandeira? O que pede a prefeitura de Caxias em ofício encaminhado ao governador
Lideranças empresariais se reuniram para discutir impacto das novas regras
Foto: Fabiana de Lucena

A decisão do governador Eduardo Leite de mudar a bandeira da Serra de laranja para vermelha no modelo de distanciamento controlado a partir desta segunda-feira (15) está sendo questionada pela prefeitura de Caxias do Sul por meio de ofício já enviado ao Piratini.

Ao longo da tarde, o governador fará reuniões virtuais com os prefeitos das quatro regiões que migraram para a bandeira vermelha: Caxias, Santo Ângelo, Santa Maria e Uruguaiana, mas já adiantou à imprensa que "não se negocia com a vida, nem com a saúde da população".

O tom do documento local foi apresentado na manhã desta segunda-feira a lideranças de entidades e sindicatos pelo prefeito Flávio Cassina e pelo vice-prefeito Edio Elói Frizzo. Integraram o encontro representantes da CIC, Câmara de Vereadores, Sindilojas, CDL, Sindigêneros, Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria Região Uva e Vinho (SEGH), Simplás, Sindipetro, Sinduscon, Microempa, Simecs e Sindigêneros.

Por parte da administração municipal participaram ainda a Chefe de Gabinete e secretária de Governo, Grégora Fortuna dos Passos, e os secretários do Urbanismo (SMU), Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMTTM) e Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Emprego (Sdete). O líder do Governo no Legislativo, vereador Velocino Uez, também acompanhou.

O prefeito explanou ao grupo a decisão do Gabinete de Crise sobre solicitar ao governador Eduardo Leite que reveja a bandeira de Caxias do Sul para os próximos 15 dias. Após a apresentação a lideranças, o documento foi enviado ao Palácio Piratini. Agora, o município aguarda a manifestação de Eduardo Leite.

Com a bandeira vermelha, os 49 municípios que integram a região de Caxias passam a obedecer regras mais rígidas, voltando a fechar lojas, shoppings, academias, entre outros estabelecimentos, e reduzindo o número de funcionários no setor produtivo.

A presidente do Sindilojas Caxias, Idalice Manchini, que participou da audiência, salienta que é preciso bom senso do poder público para que a situação econômica não se agrave ainda mais diante de um cenário de incertezas gerado pela pandemia:

"Precisamos do apoio da prefeitura para buscar a autorização para utilizar as novas tecnologias a favor do comércio e oferecer serviços de tele-entrega aos nossos consumidores como uma opção para que possamos administrar o impacto das portas fechadas ao cliente com alternativas para sobreviver", analisa, acrescentando que o comércio não pode ser penalizado pelo comportamento de uma parte da população que tem ignorado as orientações para se manter em casa com a escolha de um membro da família para realizar as compras:

"O que temos visto são famílias inteiras passeando pela cidade e centros comerciais, o que propicia a propagação do vírus, enquanto os comerciantes têm seguido uma série de regramentos para poder manter os negócios em funcionamento", reforça.

Confira o ofício encaminhado pela prefeitura, com o aval de lideranças empresariais, ao governador.

À Sua Excelência, Senhor Eduardo Leite, Governador do Estado do Rio Grande do Sul Porto Alegre- RS

Excelentíssimo Senhor,

Ao cumprimentá-lo cordialmente, vimos por intermédio deste manifestar nossa extrema preocupação com o ingresso da Região da Serra R23, R24, R25, R26 – Caxias do Sul, na Bandeira Vermelha.

Como já é de vosso conhecimento desde o dia 19 de março o Município vem adotando todas as medidas necessárias para diminuir ao máximo o contágio na cidade, iniciamos o fechamento de estabelecimentos de forma antecipada, a fim de melhorar a estrutura de saúde do nosso Município.

De acordo com o novo modelo de distanciamento aplicado pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, desde o dia 10 de maio do corrente, a cidade manteve o foco nas medidas de distanciamento social e a retomada gradual das atividades.

E essas medidas deram resultado, pois a ocupação das UTI’s com pacientes da cidade vem se mantendo em níveis médios. A taxa de ocupação de todos os leitos é de 67,39%. Ainda que o número de casos tenha crescido, por conta de surto em um frigorífico, o Município possui 6 (seis) óbitos, sendo que um trata-se de um cidadão natural da cidade, mas que não contraiu a doença na cidade e não faleceu na cidade.

Quanto à infraestrutura implantada no Município, foram instaladas estruturas para atendimento prévio nas UPA’s e nas UBS’s. No dia 9 de maio, inauguramos 49 (quarenta e nove) leitos de enfermaria no Hospital Virvi Ramos, denominado “Hospital de Campanha”.

Além disso, no dia 16 de maio, momento em que V. Exa. esteve conosco, inauguramos 10 (dez) leitos de UTI no Hospital Geral, mesmo sem a devida habilitação pelo Governo Federal.

No dia 8 de junho inauguramos mais 5 (cinco) leitos de UTI no Hospital Virvi Ramos, leitos esses que também não possuem habilitação do Governo Federal. Ainda, em 10 de junho entrou em operação a 2ª Unidade de Suporte Avançado do SAMU.

Nesta semana, tendo em vista a aquisição de 15 (quinze) respiradores, por meio da união de esforços do empresariado Caxiense, teremos a oportunidade de ampliar ainda mais a oferta de leitos de UTI’s na cidade.

Em vista disso, o que tem nos preocupado sobremaneira são as alterações dos critérios para o cálculo das bandeiras, sem o devido debate com os Municípios, o que causa insegurança na tomada das decisões na área da saúde.

Além disso, entendemos extremamente necessário que o Governo do Estado leve em conta na sua avaliação a população dos municípios, bem como seu tamanho e esforço, ou seja, que considere o que cada município fez e o que está fazendo na área da saúde, com o objetivo de ampliar o atendimento para a população durante a pandemia.

Da forma como é realizado o cálculo para estipulação da bandeira a ser aplicada às regiões, não importa se todos os municípios daquela região estão, na mesma proporção, atuando para ampliar a oferta de vagas e para implementar mecanismos de distanciamento social para os habitantes.

Neste aspecto, Caxias do Sul que tem se esforçado, mesmo com um déficit financeiro grandioso, acaba ficando sobrecarregada, ao passo que os demais municípios não ampliam seus leitos da mesma forma que tem necessidade.

Nem é preciso lembrar que a regulação dos leitos de UTI’s é conjunta, portanto é necessário que a equipe de saúde do Estado possa orientar os municípios para que adotem essas medidas para não prejudicar a região.

Houve o anúncio de que o Governo do Estado abrirá 190 (cento e noventa) leitos de UTI’s, nesse sentido, entendemos que Caxias do Sul deve ser contemplada com alguns desses leitos, pois precisamos de auxílio na manutenção da estrutura para a região.

Outra revisão necessária por parte do Governo do Estado, na fórmula de cálculo do distanciamento, é a realização de uma subdivisão na região da Serra, passando a contar com três, da seguinte forma: das Hortênsias, dos Campos de Cima da Serra e da Uva e Vinho, o que, sem dúvida, facilitará a adoção de ações conjuntas entre os municípios.

Caxias do Sul adota a máxima transparência nos dados sobre a pandemia. Lançou, em 8 de maio, o Painel de Monitoramento da Covid-19, que em seu primeiro mês já teve mais de 100 mil acessos. O painel é atualizado diariamente. Nele é possível consultar além dos casos positivos e negativos, a ocupação hospitalar. O painel está disponível em https://covid.caxias.rs.gov.br

Somos sabedores do impacto dessa pandemia no mundo, mas somando esforços poderemos ser muito mais fortes para atingir nossos objetivos, que são: proteger a saúde da população e proteger a manutenção do setor econômico.

Por todo o exposto, solicitamos a revisão da bandeira vermelha atribuída à região da Serra, mais especificamente quanto a atribuição dessa bandeira à cidade de Caxias do Sul, por esta não demonstrar a situação e o esforço da cidade no combate à COVID-19.

Não podemos aceitar que novamente o comércio e os serviços sejam os segmentos mais prejudicados, e muito menos permitir que esses setores não consigam retomar suas atividades, mesmo que lentamente.

Nosso município não olvidará esforços para que sejam mantidas as medidas de controle para o distanciamento social, mas de uma forma mais justa.

Certos de podermos contar com a compreensão de V. Exa., desde já agradecemos a atenção e colocamo-nos à disposição.

Cordialmente,

Flávio Guido Cassina Prefeito Municipal