Caxias do Sul 20/04/2021

Menos da metade dos consumidores caxienses comprará presentes de Páscoa

Desempenho é similar ao do ano passado, quando já havia começado a pandemia, mas bem abaixo de 2019. Média de gastos será de R$ 134,29 por cliente
Produzido por redação, 29/03/2021 às 11:58:14
Menos da metade dos consumidores caxienses comprará presentes de Páscoa
Maioria dos entrevistados optará pelo comércio local        
Foto: Julio Soares

O recrudescimento da pandemia não deixará a Páscoa menos doce. Pelo contrário: as vendas da data do Coelho de 2021 no comércio caxiense devem repetir o mesmo desempenho do ano passado, quando a Covid-19 já preocupava e alterava o nosso cotidiano.

Pelo estudo do Núcleo de Informações de Mercado da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Caxias do Sul, 46,92% dos moradores do município devem adquirir ovos e outros produtos para a data comemorativa. Em 2020, o levantamento identificou que 46% das pessoas iriam às compras, contra 60% em 2019, quando a pandemia não existia.

O tíquete médio sofrerá singelo aumento de 3,20%, passando de R$ 130 (2020) para R$ 134,29 (2021). Em 2019, o valor era de R$ 159 por cliente. Neste ano, assim como no anterior, a média de presentes segue sendo de quatro produtos. Quase 50% dos entrevistados disseram que a Covid-19 afeta a celebração da Páscoa.

Por ter sido realizada entre os dias 11 e 15 março, quando o comércio não essencial estava impossibilitado de realizar atendimento presencial, a pesquisa de intenção de compras pode sofrer uma variação positiva, com possível crescimento de 10% frente a 2020. Essa é a aposta do gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias, Carlos Alberto Cervieri.

Entretanto, quando comparado ao levantamento de 2019, ano em que não havia casos de coronavírus, o desempenho nas vendas da Páscoa pode ter uma redução significativa, de cerca de 30%.

"Nesta Páscoa, caso o cenário pandêmico tenha uma estabilização na semana, com boas notícias de evolução na vacinação, redução no número de infectados e de mortalidade e o governo do Estado não suspender as atividades, a tendência é de que o resultado possa chegar em até 10% a mais do que foi no ano passado. Não podemos comemorar, porque o resultado do ano de 2020 já foi muito ruim, mas é um alívio porque mostra uma movimentação um pouco maior do que na Páscoa anterior", analisa Cervieri.

Para 77,32% dos entrevistados, o chocolate será a principal opção nesta Páscoa. Os ovos lideram a preferência dos consumidores para a data, seguidos pelos bombons e trufas, com 23,60% da participação, e das barras de chocolate, que representarão 8,99%. Cerca de 55% dos clientes devem optar por produtos industrializados.

"Os ovos de chocolate, que nos anos anteriores vinham diminuindo a sua participação, neste ano voltaram com força, como o grande produto da Páscoa, com 55,62%, enquanto que em 2020 representavam 31% e, em 2019, 34%. Os ovos deram um salto na participação, mas absorveram um pouco do espaço de outros produtos, como bombons e trufas e, principalmente, das barras de chocolate, que tiveram uma queda na preferência do público", observa o gerente Administrativo Financeiro da CDL Caxias.

Segundo a pesquisa da CDL Caxias do Sul, 38,92% das pessoas irão às compras nesta semana e 40,54% devem ir na véspera ou no dia de Páscoa (4 de abril).

Deixar as aquisições para a última hora é característico dos caxienses em todas as datas comemorativas. Com isso, mais uma vez, haverá grande movimentação na véspera e na semana da Páscoa, por conta do recebimento dos salários, mas o momento também exige precaução e cuidados extras com medidas de higiene e distanciamento para minimizar os riscos de proliferação da doença.

EM NÚMEROS
Confira alguns destaques da pesquisa de intenção de compras da CDL Caxias do Sul:

- 46,41% dos moradores de Caxias do Sul pretendem ir às compras nesta Páscoa. Em 2020, eram 46%, e, em 2019, 60%. Na época da pesquisa, apenas 0,51% já haviam adquirido produtos para a data.

- Entre os 53% que não irão às compras, 33% deles afirmaram que é por questões financeiras, 28% por conta do coronavírus e 23% por terem outras prioridades.

- O tíquete médio será de R$ 134,29 em 2021. Em 2020, era de R$ 130. Em 2019, de R$ 159.

- 40,54% das compras devem ocorrer na véspera ou no dia da Páscoa e 38,92% na semana da data.

- Cada consumidor comprará, em média, quatro produtos. Em 2020 também eram quatro itens e em 2019 eram três.

- 49,75% disseram que a celebração da Páscoa em 2021 ainda conseguiu manter o seu espírito e sua simbologia. Enquanto 50,25% afirmaram que o coronavírus afeta a comemoração e impacta negativamente o espírito familiar desta data.

- 77,32% irão comprar chocolate nesta Páscoa. Em 2020, esta também era a preferência de 75% dos entrevistados e, em 2019, foi de 92%.

- Ovos de chocolate representam 55,62% da preferência neste ano, seguidos por bombons e trufas (23,60%) e barras de chocolate (8,99%).

- A escolha deve ser por produtos industrializados (55%), seguido dos artesanais (35%). Dez por cento dos entrevistados afirmaram que é indiferente.

- 100% dos entrevistados afirmaram que irão adquirir os produtos no comércio local, seja físico ou digital.

- Entre os fatores decisivos para o local de compra estão o atendimento (31,16%), os produtos de qualidade (20,55%), a condição de pagamento (15,41%) e os itens diferenciados (13,01%).

- 66,49% pesquisam produtos e preços antes de comprar.

- Entre os canais de pesquisa ou informações, 38,83% envolvem diretamente as lojas, 17,55% os sites dos estabelecimentos e 13,30% o Facebook.