Caxias do Sul 20/04/2021

É possível acender e apagar as luzes com menos risco de contágio pela Covid-19? Sim

Interruptores elétricos antimicrobianos, com íons de prata, ganham espaço no mercado
Produzido por Silvana Toazza, 07/04/2021 às 08:36:15
É possível acender e apagar as luzes com menos risco de contágio pela Covid-19? Sim
Tecnologia inibe vírus e bactérias
Foto: Legrand, reprodução

Em tempos em que a Covid-19 domina as preocupações do consumidor e altera os hábitos de higiene para minimizar o risco de contaminação, há soluções no mercado que não apenas ganham evidência neste momento como chegam para ficar e trazer mais segurança e saúde ao cliente.

Nesse elenco de itens, que são simples mas diminuem as possibilidades de contágio, está uma série especial de interruptores antimicrobianos, que integra a linha Nereya da Legrand, gigante francesa na fabricação de soluções em materiais elétricos.

Em Caxias do Sul, uma das primeiras empresas da Serra a comercializar o portfólio da multinacional desde sua chegada ao Brasil, há 46 anos, é a Magnani Luz e Energia, com 50 anos de história e uma filial em Torres.

No amplo leque de produtos elétricos, de iluminação e energia solar, a Magnani tem percebido o potencial de segurança oferecida por essa série antimicrobiana, com pouca diferença de custo em relação à tradicional, mas com grande possibilidade de reduzir o contágio por bactérias e vírus.

“Nesse tipo de placa todo mundo coloca a mão para acender e apagar a luz, um manuseio constante que acaba sendo um canal de contágio de doenças. Em sua composição e acabamento, a série antimicrobiana tem injetado, dentro do plástico, substrato de íons de prata, a fim de eliminar ou reduzir bactérias e vírus. Trata-se de um material que impede a proliferação de micróbios. Esse mesmo princípio está sendo utilizado com ênfase em eletrodomésticos, como aparelhos de lava-roupas e ar-condicionado”, explica Carlos Eduardo Nonatto, gerente de Marketing da Legrand, em São Paulo.

Pesquisas apontam que íons de prata, metal com propriedades antibacterianas, são eficazes contra vírus, bactérias e micro-organismos, além da ação antiodor, tornando-se uma barreira antiviral. O executivo não tem como atestar 100% de eficácia nos riscos de contaminação, pois o coronavírus ainda é um enigma, mas estudos garantem a redução significativa nos índices de propagação.

No entanto, a série de interruptores antimicrobianos de luz ainda não é tão conhecida no Brasil, e a tendência é que ganhe terreno na construção civil, em hospitais, hotéis e em outros espaços de utilização pública.

“Deve ganhar força tanto em novas construções quanto na reforma de espaços existentes”, destaca Nonatto.

Já no Exterior, em países como a Itália, esse tipo de interruptor antimicrobiano já encontra mais eco no mercado, em consonância com regras técnicas mais rígidas para a construção civil e ambientes hospitalares, como salas cirúrgicas.

“Mas certamente há oportunidades futuras aqui”, salienta Nonatto.

Interruptores com sensores de presença

Outros filões em iluminação vêm crescendo unindo praticidade e funcionalidade, a exemplo dos interruptores de luz com acionamento por movimento ou sensor de presença (ou seja, sem a necessidade de colocar a mão), mercado que conquistará ainda mais impulso integrado com a maior conectividade das residências e escritórios, e a internet das coisas (comandos remotos de aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos via celular).

O certo é que, no embalo de um momento delicado de enfrentamento do coronavírus, o mercado apostará todas as fichas em soluções que garantam mais saúde, bem-estar e qualidade de vida.

Magnani Luz e Energia

Caxias do Sul: Avenida Rubem Bento Alves, 4.549, Perimetral Norte, bairro Santa Catarina

Torres: Avenida Barão do Rio Branco, 876, Centro

Acesse www.magnani.com.br