Caxias do Sul 28/09/2021

Caxias do Sul ganhará instituto hospitalar veterinário

Um dos maiores complexos em saúde animal do país está em fase de obras
Produzido por redação, 07/06/2021 às 15:07:30
Caxias do Sul ganhará instituto hospitalar veterinário
Foto: Claudia Velho

A partir de abril de 2022, a Universidade de Caxias do Sul (UCS) disponibilizará aos 700 alunos do curso de Medicina Veterinária e à comunidade um Instituto Hospitalar Veterinário. O projeto está em fase de execução e potencializará pesquisa, qualificação profissional e prestação de serviços à população, em um dos maiores complexos de saúde animal do Brasil.

A estrutura integrará o Complexo em Saúde Animal do curso de Medicina Veterinária da instituição, que já conta com clínicas veterinárias para pequenos e grandes animais, laboratórios de diagnóstico, unidade móvel, uma escola experimental e interface com o Zoológico e com o Museu de Ciências Naturais, além dos lagos e sua biodiversidade.

Com as obras já iniciadas, o novo Instituto terá área de 3.684,30 m², sediado no bloco 46 do Campus-Sede, e comportará atendimentos clínicos, cirúrgicos, diagnósticos e práticas laboratoriais voltadas aos animais.

O espaço abrigará a clínica de pequenos animais (hoje localizada no bloco 47) com ambientes ampliados, o que acrescerá nas atividades clínicas e cirúrgicas com enfoque principal em cães e gatos; potencializará o tratamento de doenças infecciosas, o que demanda áreas específicas e de isolamento; e aumentará a quantidade de especialidades veterinárias atendidas, a exemplo da oncologia. Também serão possibilitados os diagnósticos especializados a partir de técnicas mais avançadas em uma ala laboratorial, como de zoonoses e o PCR em tempo real, que ainda não é realizado na região, exame esse que permitiu a primeira identificação de Covid-19 em felinos no Rio Grande do Sul, além de sediar serviços de bacteriologia, micologia, parasitologia e análises clínicas veterinárias.

No mesmo bloco, salas de aula centralizarão as turmas da graduação (hoje concentradas no bloco 74) e terá sede a coordenação de curso, quadro docente e Diretório Acadêmico. Os ambientes ainda poderão ser ocupados, por locação, por profissionais independentes na realização de procedimentos clínicos e cirúrgicos, como o que já é feito nas clínicas e blocos cirúrgicos do curso.

A clínica de grandes animais e seu bloco cirúrgico permanecerão no bloco 56, próximo ao novo Instituto Hospitalar Veterinário, e o local que hoje abriga a clínica de pequenos animais dará lugar a laboratórios voltados à produção e à reprodução animal, anatomia e patologia veterinária.

"Haverá maior potencial de expertises em um centro que será dedicado não somente à saúde animal, mas às suas interfaces com a saúde humana como um todo, tratando e prevenindo novas enfermidades na região. Um potencial fantástico para a oferta de soluções e resolução de problemas com o ganho de qualidade a partir da união de ciência, inovação e profissionais altamente capacitados", destaca o professor André Felipe Streck, coordenador do curso de Medicina Veterinária, ressaltando o potencial em pesquisa na interlocução da área com o Programa de Pós-Graduação em Biotecnologia, a Biomedicina e a Medicina humana.