Caxias do Sul 14/06/2021

As vantagens de parar de fumar

Uma importante reflexão neste Dia Mundial Sem Tabaco
Produzido por Ana Gelatti, 31/05/2021 às 08:29:19
Foto: ARQUIVO PESSOAL

O tabagismo é considerado um dos maiores fatores de morte evitável e de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), tais como doenças cardiovasculares, respiratórias e câncer.

Além de causar inúmeros outros danos ao organismo, o cigarro provoca risco de morte três vezes maior em fumantes do que em não fumantes. E os números são assustadores. A estimativa é de que o tabagismo poderá causar 1 bilhão de mortes no século 21. Já são mais de 8 milhões de mortes por ano no mundo e mais de 156 mil óbitos/ano no Brasil.

No entanto, é possível reduzir esses riscos e ainda ganhar anos de vida. Por isso, além dos programas de prevenção, os especialistas têm se dedicado a iniciativas que auxiliem pacientes a abandonarem o tabagismo, contando com o apoio de equipes multidisciplinares. Parar de fumar melhora a autoestima e traz benefícios de curto e de longo prazo, tanto à saúde pessoal, quanto para aqueles que convivem com os fumantes.

Conforme estudos publicados no British Medical Journal, quanto mais cedo o indivíduo parar de fumar, maior será sua expectativa de vida em ganho de anos. Para se ter uma ideia, se parar de fumar entre 25 e 34 anos de idade, o ganho é de 10 anos de vida; se a parada for um pouco mais tarde, entre 35 e 44 anos de idade, são 9 anos de ganho de vida. Mas se a opção de parar acontecer entre os 45 e 54 anos de idade, o ganho baixa para 6 anos e, se ocorrer entre 55 e 64 anos de idade, o ganho de vida será de apenas 4 anos.

Além da longevidade, a interrupção do tabagismo contribui para melhorar o rendimento profissional e reduz as abstenções, seja no trabalho ou na escola, devido a problemas de saúde. Também reduz os custos familiares, públicos e da assistência suplementar com o diagnóstico e tratamento das doenças relacionadas ao tabaco. Mas é importante alertar que mesmo o ex-fumante deve manter-se atento aos exames preventivos do câncer para evitar eventuais efeitos posteriores do tabagismo.

Ana Gelatti é médica oncologista e pesquisadora da Oncoclínicas RS